Pular para o conteúdo
20/01/2012 / Filipe Aguiar

A contradição do povo brasileiro, ou “já fomos mais inteligentes?”

Carlos Nascimeme

Se tem uma coisa que o povo brasileiro é craque é em ter uma imagem errônea de si mesmo. Futebol? Já era, somos o 6º (ou 5º, não me importo) no ranking da FIFA.

Digo isso por que sempre que aparece um assunto novo as pessoas fazem questão de demonstrar sua opinião sem perceber que esta, muitas vezes, contradiz a própria ideia que o brasileiro faz questão de bradar aos quatro ventos.

Meses atrás, com o incidente envolvendo o Rafinha Bastos e a Wanessa Camargo o brasileiro demonstrou que não tem senso de humor nenhum e que usa da máxima “no dos outros é refresco” quando o assunto é piada. O brasileiro, do bom-humor, da malandragem, da piada de português, de loiras e de gays, não admite piada envolvendo coisa séria. E por coisa séria entenda “condenado pelo esquadrão politicamente-correto”.

Outra máxima brasileira é dizer, sempre que possível, “não sou melhor que ninguém”. Já repararam nisso? Brasileiro que é brasileiro tem obrigação de demonstrar humildade mesmo quando possui talento ou competência. No Brasil é errado incentivar quem é bom em alguma coisa. Se você é ótimo em alguma coisa, negue. Se não negar é arrogante. E arrogância não é coisa de brasileiro.

Apesar disso, brasileiro a-do-ra se achar melhor que os outros. Adora. A única diferença é que com o advento da internet e das redes sociais fica mais difícil esconder isso.

Eu, sinceramente, não sei o que aconteceu nesse começo de ano que a internet brasileira em peso resolveu discutir sobre si mesma. Seja sobre a propagação de memes, seja sobre o quanto as pessoas estão cansadas de ver Michel Teló ou por que diabos estão falando de Luiza.

Eu adoro discutir. Acho que é uma oportunidade fantástica de rever seu ponto de vista, avaliar seus argumentos, estudar a opinião do outro e, por que não, mudar de opinião se for o caso. E a discussão do dia tem essa cara aqui:

Carlos Nascimeme

#mimimi

Carlos Nascimento, ex Rede Glóbulo (sem copyright, vai que a #SOPA me pega) chamou a mim e, provavelmente, a você de idiota. Em rede nacional. Em horário nobre. Estando errado!

O comentário do Nascimento trouxe mais uma vez a oportunidade do brasileiro (que usa a internet) expressar sua indignação perante à sociedade decadente, à perda dos valores morais e intelectuais que assola o nosso país e… Vomitei…

Ptolomeu

O que o povo brasileiro pensa de si mesmo...

Eu não consigo imaginar a que período da história o Nascimento se referia. Seria uma referência à era de ouro da música brasileira, com clássicos como “vai ralando na boquinha da garrafa” e similares? Ou um pouco antes, quando o povo brasileiro elegeu o Collor pra presidente? Acredito que ele deveria ter sido mais específico.

Para cada “nossa, assim você me mata” existiu uma “macarena”, pra cada “menos Luiza, que está no Canadá” existiu um “não é brinquedo, não” perfeitamente solidificado pela TV aberta brasileira. Lima Duarte pode eternizar um “tô certo ou tô errado”, mas a internet não pode ter suas frases de efeito?

Ao contrário do jornalista, eu não acho que já fomos mais inteligentes. Acredito que sempre fomos babacas. É uma condição humana: “penso, logo sou babaca”. Faz parte do que faz a vida ser tão interessante.

Batista

O que o povo brasileiro realmente é

O que mais vejo no facebook é gente criticando quem gosta do BBB, dizendo que Michel Teló isso, que Luan Santana aquilo, que “bom era no meu tempo”. No teu tempo o quê, cara-pálida? Leandro e Leonardo? Wando? “Zorra total é uma porcaria, hoje não se faz mais humor como antigamente”, alô? A Praça é Nossa mandou lembranças.

Na verdade a internet polarizou demais as coisas: ou você é intelectual e só gosta do que é bom (coisa que alguém sabiamente escolheu pra você) ou você é “de dar pena”. Não há mais espaço para o gosto pessoal, para o direito de se gostar de uma coisa que você sabe que é ruim. Existe a necessidade de se mostrar superior automaticamente sem nem se pensar duas vezes a respeito. Fenômeno belamente explicado nesse texto, da Carta Capital.

Posto isso me declaro um completo idiota, fiz piadinha da Luiza com uma amiga que tem esse nome, achei graça de todas as piadinhas bestas que fizeram a respeito e agora vou rir de todas a que estiverem relacionadas ao Carlos Nascimeme.

Porque a internet é assim: não torna ninguém mais idiota do que já é, só deixa isso mais claro pra os outros.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: